A espiritualidade frequentemente sai pela janela no instante em que entramos em uma discussão, tropeçamos em uma crise ou caímos em depressão.



A escuridão toma conta tão rapidamente que esquecemos de tudo que aprendemos.



É por este motivo que é bom estudar diariamente, ler uma passagem da torah ou algum texto inspirador, decorar uma citação ou assistir uns minutos de uma palestra para nos lembrarmos do que é realmente importante.



Dê a sua mente algo para mastigar, para que ela não mastigue a si mesma.



Yehuda Berg


quarta-feira, 3 de maio de 2017

Dois Motivos

Se você não recebe o que deseja é por um desses dois motivos:
ou você não fez por merecer,
ou não precisa do que está pedindo.

Ensinamentos do Zohar por Shmuel Lemle

terça-feira, 2 de maio de 2017

O Ensino do Oculto

A Cabala é conhecida como o ensino do oculto (nistar) porque só pode ser apreendida por uma pessoa na medida em que ela é capaz de alterar suas qualidades interiores.
Portanto, ela não pode passar suas percepções para os outros, mas  pode e deve ajudar os outros a vencer o mesmo caminho.

(Rambam, a Torá Yesodot Ilchot)

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Não há "de repente"

Problemas não acontecem “de repente”.
Cada ação e palavra negativa cria um resíduo que dura anos.
Este resíduo acaba se manifestando como escuridão.

Ensinamentos do Zohar por Shmuel Lemle

domingo, 30 de abril de 2017

Qual a Lição?

Quando alguém nos prejudica ou nos magoa, em vez de ficar na posição de vítima devemos nos questionar qual a nossa lição.



Ensinamentos do Zohar por Shmuel Lemle

quarta-feira, 1 de março de 2017

As pessoas são uma mistura do bom e do mau

Há um segredo sobre o trabalho espiritual, que diz que quanto mais negatividade existir dentro de uma pessoa, mais Luz ela pode revelar. Então há negatividade dentro de nós, mas há bondade também.
O lado negativo nos faz acreditar que não é possível diminuir o lado negativo, mas existe a possibilidade da pessoa mudar.
O problema é a pessoa que é mais ou menos e acreditamos que ela é OK! Quanto mais a pessoa estiver no meio menos chance ela tem de acordar. Pois pensa, eu tenho o lado negativo, mas tenho o lado bom também, então a parte ruim dentro de mim não é tão má, não é tão terrível.
Este tipo de pensamento vem do lado negativo
A lição aqui é não cair neste tipo de pensamento/consciência.

Por: Yehuda Berg

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Torne-se um tubarão espiritual

Johnny Cash, Michelangelo, Albert Einstein, Nat King Cole, W.H. Auden — estes são apenas alguns dos piscianos famosos que mudaram nosso planeta com seu intelecto e criatividade.

Isso não deve surpreender-lhe se você souber um pouquinho que seja sobre o zodíaco.
Uma das maiores características daqueles nascidos sob o signo de Peixes é a capacidade de tocar os confins da realidade, geralmente, a fonte de seu brilhantismo e criatividade.
Ali, também encontram grande empatia e a capacidade de sentir as pessoas e situações de forma intuitiva.

Entretanto, como tudo neste Universo, há uma dualidade no pisciano.
Embora brilhantes e em sintonia com o mundo além dos cinco sentidos, um pisciano tem, às vezes, uma dificuldade de equilibrar essa percepção profunda com atos práticos da vida diária.

Por um lado, os piscianos podem ser completamente afetuosos e médiuns, mas por outro lado, podem se desligar da realidade.
Quando batem em retirada do próprio mundo, é difícil conseguirem dedicar-se ao resto de nós, e em seguida, surge uma tendência a sentirem-se como vítimas.

Algumas vezes, quando a vida os vira de ponta-cabeça, em vez de pensarem: “Certo, essa é a situação em que me encontro, então... bola pra frente!", esses peixinhos, na verdade, tendem a sentir vontade de nadar para bem longe da situação.
Em vez de encararem a realidade de frente, eles tendem a perder toda a motivação para engajaram-se com os outros no aqui e agora.

A energia cósmica de cada signo do zodíaco afeta a todos nós, tenhamos nascido sob o signo do mês ou não, portanto, o teste para cada um de nós neste mês de Asar que começa nesta semana, está relacionado a encarar a realidade.
Precisamos nos questionar sobre duas coisas: “Em que medida conseguimos realmente assumir responsabilidade pelas situações que nos encontramos?” e “Quando as dificuldades surgem, seremos capazes de resistir às tentações de cair nas armadilhas dos sentimentos de vítima?”

Como mencionei em meu novo livro, Idas e Vidas: Reencarnação e Nosso Propósito, quando entendemos que a centelha do Criador está em todos nós, não podemos nunca nos sentir como vítimas.
Mas isso significa que devemos abraçar a responsabilidade de fazer a única escolha real que a vida nos oferece: crescimento ou crescimento nenhum.
Aceitar o papel de vítima implica em negar a existência da Luz.
Aceitar o papel de vítima nega a existência da própria centelha de Deus.

Tudo que acontece em nossas vidas é uma parte de um processo muito maior. Algumas vezes, precisamos nos perder completamente para encontrar uma vida melhor, que nunca havíamos imaginado para nós.

O signo de Peixes é representado por um peixe – não apenas um, mas dois peixes em posições opostas.
Neste mês, devemos decidir qual tipo de peixe queremos ser.
Queremos ser o tubarão que controla o mar? Ou queremos permanecer como as sardinhas, esquivando-nos das dificuldades e nos escondendo atrás de recifes e pedras?

Ser um tubarão, não significa que queremos matar todos os outros peixes; significa, entretanto, que queremos ser capazes de controlar o mar.
Temos a sorte neste mês de ter o controle em nosso poder.
O que temos de fazer é resistir às tentações de cair em pensamentos como “Eu não consigo!” ou “Por que isso está acontecendo comigo?”, e no lugar disso, procurar pelos passos proativos que podemos tomar para revelar mais Luz no mundo.

Por: Karen Berg

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

As experiências pelas quais passamos não determinam quem somos.

Carregar bagagem desnecessária de nosso passado nos impede de alcançar a alegria infinita que estamos destinados a receber na vida.

As experiências pelas quais passamos não determinam quem somos.

Faça as pazes com seu passado.
É assim que você conseguirá aproveitar ao máximo o seu presente.

Por: Yehuda Berg