A espiritualidade frequentemente sai pela janela no instante em que entramos em uma discussão, tropeçamos em uma crise ou caímos em depressão.



A escuridão toma conta tão rapidamente que esquecemos de tudo que aprendemos.



É por este motivo que é bom estudar diariamente, ler uma passagem da torah ou algum texto inspirador, decorar uma citação ou assistir uns minutos de uma palestra para nos lembrarmos do que é realmente importante.



Dê a sua mente algo para mastigar, para que ela não mastigue a si mesma.



Yehuda Berg


Noach Weinberg

(001) Quando perseguimos uma meta específica, devemos fazê-lo sem interrupção. 
É, na verdade, melhor estudar uma hora seguida do que duas com interrupções. Interrupções quebram a nossa linha de pensamento e limitam nossa habilidade para reter informação. 
Nos tiram o poder de aprender.
Coloque de lado um certo tempo, bloqueando qualquer coisa externa, para que nada interrompa a atividade na qual está se focando.
Não se sente e depois se levante para abrir a janela.
Depois levantar para tomar uma Coca.
E se levantar de novo para fechar a janela.
E se levantar para ligar o rádio.
Proponha para você mesmo: "Eu vou fazer 'X' por uma hora seguida. Sem ficar me levantando e sentando!"
Por 15 minutos inteiros, não pare.
Não mude de lugar, não pegue uma bebida, não faça nada que não seja risco de vida!
Você pode treinar isso enquanto anda no ônibus, ou esperando na sala do dentista. Proponha-se uma meta de 15 minutos para se focar exclusivamente em um tema. Pode ser um problema que você está tendo no trabalho, uma meta pessoal, ou um
problema da sua relação.
Por exemplo, você pode dizer a si mesmo, "Nos próximos 15 minutos eu vou me dedicar a pensar na minha família, como eu posso ajudá-los, porque os amo,
meus prazeres com eles, etc."
Ou tente dedicar 15 minutos por dia a estar ciente de cada aspecto de vida que o rodeia — desde o sangue que corre pelas suas veias que mantém cada célula viva, até a formiga andando pelo solo abaixo dos seus pés.
Por esses 15 minutos, você está totalmente sintonizado com o milagre de estar vivo.
Aí, no final desses 15 minutos, aprecie como o tempo foi bem aproveitado.
Tempo que, caso contrário, seria desperdiçado...
Pouco a pouco, aumente esse tempo.
Primeiro 15 minutos, depois 30 minutos, uma hora, duas horas.
Uma vez que você alcançou quatro horas, você já está voando.
O Gaon de Vilna, o grande sábio do século XVIII, disse que, nas primeiras 3 horas e 59 minutos, alimentamos a fornalha.
Pela quarta hora, a panela está fervendo.
E não pare.
Porque se você tirar a panela do fogo — mesmo por alguns minutos — você vai ter de fervê-la novamente


(002) Imagine alguém perguntando para você, "O que você faz?" Você responde, "Eu sou advogado" ou "Eu sou engenheiro" ou " Eu sou contador".
Errado!
Errado!
Errado!
Suponha que você veja alguém ir dormir, e você diz para ele, "O que você faz?"
Ele diz, "Eu sou um dorminhoco"
"Você é um dorminhoco? Como você vive fazendo isso? Quem paga para você dormir?"
Esse é o meu ponto.
Quando fazemos as contas, um
a pessoa certamente passou a vida mais dormindo do que sendo advogado.
O essencial de você não é o advogado.
É o pensador, o procurador, a vida, o ser humano que ama, que está
continuamente crescendo, que deseja a grandeza, que almeja saber mais.
Se identifique com isso.
É o que você realmente é.
Pergunte a uma mulher com quatro filhos: "Quem você é?"
Ela responderá: "Uma mãe".
Mas esse é somente um aspecto de quem ela é (certamente um importante).
Ela é também amiga, voluntária social, educadora, cozinheira, enfermeira, psicóloga de crianças, pensadora, coletora de informações, buscadora da
verdade, e mais.
Desafortunadamente, desenvolvemos esse problema de identidade cedo na vida. Cada criança é perguntada: "O quê que você quer ser quando crescer?"
Essa pergunta tem implicações sutis que podem prejudicar o desenvolvimento de sua personalidade.
A criança está pensando: "Qual é o problema em ser 'eu'?
Sou 'eu' tão terrível que tenho que me tornar diferente quando crescer?".
Nossos Sábios dizem:
"Faça o estudo da vida sua principal ocupação, e sua profissão secundária."
A pergunta não é "o que você está fazendo para viver", mas sim "o que você faz para a sua vida?"
Se você se vê como um "pensador", então pensar se torna uma prioridade. Portanto, atualize sua própria definição.
Aprenda toda sua razão para viver, e viva-a completamente.

(003) Todo mundo tem um desejo por grandeza.
Nós queremos respeito, poder, fama.
Nós queremos alcançar, ser fortes, fazer a coisa certa, até mesmo salvar o mundo.
Todavia, ao mesmo tempo que queremos tudo isso, nós temos uma vontade contrária: escapar da responsabilidade, ficar na cama e nos esconder debaixo do cobertor.
Alguém pode dizer, “A vida é linda”, mas ele não o sente.
Suas emoções o impedem e fica vagando pensando, “Uff, a vida é um fardo!”.
Reconheça o vulcão de conflito em você: o que você realmente 'quer' versus o que você sente vontade de fazer.
Esse é o conflito entre o corpo e alma.
Uma vez que você vislumbrar a dicotomia, você pode identificar a qualquer momento se é o seu corpo ou a sua alma que está falando.
Isso torna possível viver com sanidade e fazer a escolha certa.
O próximo passo é fazer paz entre os dois lados.
A forma mais fácil é esmagar seu desejo de grandeza.
Mas a vida não é sobre tomar a saída mais fácil.
Só porque você se sente desconfortável sobre uma ideia, não significa que esteja errada para você.
É difícil acabar com os hábitos, e crescimento pode ser assustador.
Por exemplo, você preferiria ser rico ou feliz?
Ok, você preferiria ser feliz. Agora imagine essa troca:
“Vamos lá, eu te ensino como ser feliz. Somente requer esforço e mudança.”
“Oh, eu adoraria, mas eu não posso agora. É impossível. Eu tenho que pegar um avião.”
“Sério? Eu lhe pago R$ 10.000 por semana para trabalhar sobre sua felicidade.”
“Claro! Aonde eu assino?”
“Ah, mas eu pensei que você não podia agora...”
Nós ocultamos nossos problemas com racionalização.
“Eu quebrarei a cabeça pensando sobre o que é a vida! Ninguém realmente sabe sobre o que é a vida. Não vai dar certo. Nada pode ser feito mesmo. Eu não me importo. Isso não vale meu tempo!”
Os Sábios dizem que uma pessoa somente comete um erro quando é dominado por um momento de insanidade.
Assim, perceba que você está lutando contra sua “insanidade”.
Não é lógico.
Você tem que estar pronto.
Porque se você sair da linha, é você que sai perdendo.

Então... você quer mudar?
O que você tem contra isso?
Sinta a antipatia do corpo.
Nós somos tão preguiçosos. O corpo só quer dormir. “Aaaah....eu não quero mudar. Eu estou feliz assim. Eu estou confortável no meu nicho de angústia.”
Você é rico o suficiente?
Não!
E você é feliz o suficiente?
Você vê a importância de entender isto?
Você tem que identificar o animal que está combatendo. “O pavor da mudança”.
Se você estiver alerta, você vê o inimigo.
Você pode perder uma luta com o seu corpo, mas pelo menos você tem certeza. “Eu sei o que estou fazendo”.

(004) Entre em contato com seu estado emocional.
Tente ver como está se sentindo.
Feliz? Bravo? Tenso? Triste?
Emoções são como uma vara de medidas para o que está acontecendo abaixo da superfície.
É como tomar a temperatura.
Se você estiver doente, precisa saber o diagnóstico para poder resolver o problema.
Descubra porque você está triste.
Quem ou o quê está pressionando você?
É um problema interno ou externo?
Identifique-o.
Digamos que você está irritado. Por que?
Se veja por fora e localize o problema. Se não fizer isso, é só irritação.
E, quando você se der conta, você pode ir para casa e gritar com seus filhos.
Uma vez que você identificou o que causa esses sentimentos negativos, ajuste-se a minimizar o impacto.
Evite essas situações ou se prepare para lidar com elas quando surgirem.
Além disso, desfaça-se de motivações negativas que corrompem o seu comportamento.
Digamos que você dê caridade. Por que?
Uma motivação é para ajudar a humanidade. Outra é o prazer de ser construtivo. Uma terceira é o desejo de fazer o bem.
Todas essas são motivações positivas.
Uma motivação negativa para dar caridade é:
“Eu quero que as pessoas me admirem”. Isso corrompe.
A próxima vez que der caridade, faça-o anonimamente.
Elimine as razões erradas. Elas são destrutivas.
O mesmo vale para as emoções positivas.
Esteja ciente de como seu estado emocional afeta suas decisões.
Por exemplo, não compre um novo aparelho de som quando estiver eufórico. Espere. Pense sobre isso.
Você está suscetível.
Aponte o que o faz feliz.
Você pode ter mais alegria diariamente por formular algumas aplicações práticas. Você se levantou pela manhã, é um dia lindo e se sente ótimo. Tem energia.
Agora tome esse sentimento e se ensine como levantar com o pé direito – cada dia!
Outro exemplo: Você fez um bom trabalho e obteve um elogio do seu chefe.
Agora se foque: Você precisa que seu chefe lhe diga que fez um bom trabalho? Não!
Crie seu próprio prazer em fazer um bom trabalho

(005) Não pense que só porque você entende alguma coisa, você vive com ela.
É possível acreditar de uma maneira e, no entanto, agir de outra.
Acontece conosco todo o tempo.
Você pode pensar que é importante comer comidas saudáveis, mas mesmo assim, você devora batatas fritas e bolos de chocolate.
Nossas ações são determinadas pelo nosso nível de claridade. 
Se entendermos uma ideia somente num nível superficial, então teremos dificuldade em apegar-nos a ela quando a situação for dura.
A próxima vez que for a um funeral, olhe com atenção.
Quando eles removem o corpo da capela, os enlutados começam a chorar.
Eles estão chorando porque eles querem que o corpo continue ali?!
Não.
De repente há uma realização da ideia da morte, que ele não vai voltar mais.
No cemitério, eles abaixam o caixão dentro da terra e os enlutados começam a chorar de novo.
É a realização emocional de que a morte é final agora.
Até que você alinhe os seus sentimentos com a realidade, você está no mundo dos sonhos.
O crescimento começa na mente, mas seu coração tem que acreditar tudo que sua mente descobrir.
Somente aí você vai integrar essas ideias na sua vida do dia-a-dia.

(006) 
O modo como você se comporta, afeta como você usa sua mente.
O Rei David diz nos Salmos: “Com todos os meus ossos, eu digo que não há nada como Tu, D-us”. 
Quando você está 100% no ato, você está completamente focado.
É claro, mantenha-se longe de atividades contra produtivas.
Você não pode fazer festa 24 horas e meditar pela manhã. 
É a antítese da pureza.
Não contamine seu objetivo. 
Focar-se no que você quer é o primeiro passo em ter o que você quer.
“Confuso significa difuso”.
Se você não sabe aonde você está indo, você nunca chegará lá.
Coisas insossas frequentemente vem da nossa desclaridade sobre metas pessoais. Saiba seus objetivos e prioridades o tempo todo, e tenha um plano para como alcançá-los.
A coisa mais importante é saber para quê você está vivendo – i.e. “O Objetivo Principal”.
Se você estiver pronto para morrerc por alguma coisa, isso é bastante pesado. Você quer ser um bom homem?
Todo ser humano está pronto a morrer pela coisa certa.
Não é verdade isso?
Uma vez que você tem um objetivo, você precisa se empolgar e se focar.
Todos precisam de torcida, e não há melhor torcida do que a sua própria.
Tente dar para você uma conversa estimulante, como um técnico de futebol:
“Eu vou alcançá-los hoje. Eu vou me concentrar. Eu vou procurar a verdade e nada
vai me impedir. A próxima pessoa que me falar alguma coisa de sabedoria, eu vou escutar, apreciá-la, pensar sobre ela e aplica-la”.
Torne seus objetivos reais.
Você só tem um curto tempo para alcançar tudo o que você quer na vida.
Comece agora e dê tudo o que você tem a oferecer.

(008) O Judaísmo tem um conceito de meditação, mas não é sem propósito. 
Meditação não significa cantar um mundo que não faz sentido para você. 
Mas sim, significa tomar um tema e imergir-se nele completamente, para a exclusão de todos os outros temas.
Use uma “visão de túnel” para se conectar as suas emoções mais profundas com 
D-us, a vida, a humanidade, a família, o sofrimento, etc.
Os judeus, através dos anos, engajaram-se na meditação.
A Amidá (reza) em silêncio é considerado uma longa, significante meditação.
Avraham, Moisés,Rei David – eram todos pastores.
Isso dava para eles tempo para meditar abaixo do assombroso céu, e podiam se concentrar em ideias espirituais elevadas, para entrar no certo estado de espírito para falar com D-us.
Para meditar, tente dizer uma só palavra em voz alta, e concentre-se no significado.
Depois de 10 minutos, sua mente está completamente focada.
(009) Mantenha-se longe de paralisantes emoções negativas e bloqueie-as.
Se você sentir uma emoção negativa, compreenda que você tem a habilidade de “deixá-la” e se sentir bem a qualquer momento.
É somente o orgulho ferido que diz, “Eu tenho que fazer cara feia antes de eu conseguir superar essa”. 
A energia negativa não está machucando ninguém a não ser você. 
Você tem o livre arbítrio de se elevar e sair disto.
Isso é especialmente importante em tempos de confusão e ansiedade.
Você tem um voo para pegar, mas o taxi chega tarde e aí você se encontra no trânsito. Não fique irritado, agitado e esperneando.
Arruinará seu dia.
Ao invés disso, mude para pensamentos positivos:
“Ok, eu perdi o avião. Mas eu ainda posso apreciar o cenário!?
É claro, se há algo que se possa fazer, faça. Mas senão, bloqueie-o.
Imagine um cirurgião que discutiu com a sua esposa pela manhã.
Ele está irritado, e agora ele vai operar.
Como ele pode se concentrar?
Ele é um profissional treinado. Ele vai bloqueá-lo.
Seja impiedoso no seu foco.
Não é sempre ruim ser impiedoso.
Se o cirurgião não desumanamente se foca, ele porá em perigo o paciente.
O objetivo, é claro, não é se desprover de emoções, mas controlá-las e aplicá-las apropriadamente.
Algumas pessoas abusam do “bloqueio emocional” quando têm que lidar com situações que eles não querem.
Fale com alguém sobre uma guerra nuclear.
“Não existe essa ameaça. Não pode ser. É muito perturbante. Me deixe sozinho”. Ou tente convencer um racista da beleza de cada ser humano.
Eles não o escutam.
Eles o bloqueiam.
Eles não estão interessados no assunto, acabou!
Como evitamos essa condição?
Estando interessado na verdade, não importando para onde ela nos levar.
Se você encontrar a verdade e conflitar com suas crenças prévias, dissolva seus
pré-conceitos.
Seja inflexível na busca da verdade. “Eu tenho que mudar minha vida inteira. Ok, eu não estou com medo”.

(010) Assim como você precise de pureza na mente, também precisa pureza no coração – “uma emoção por vez”. 
Emoções diferentes podem nos invadir na hora errada, se você não estiver claro,
você vai ser levado para muitas direções.
Ser levado para direções opostas causa paralisia. 
Há um velho ditado que diz: “Um burro morreu porque ele não conseguia decidir entre dois fardos de feno”.
Antes de entrar numa situação, decida de antemão qual emoção você vai querer lidar.
Se você vai ir para um casamento e é importante se divertir, não entre em tópicos estranhos como:
Como vocês vão suportar um ao outro?
Como está meu cabelo?
Você vai querer o salmão ou bife?
Ao invés disso, foque-se em uma emoção singular e diga-se, “Eu vou ser alegre – e ninguém vai me parar!”
Na verdade, a cabala diz para sempre guardar um pouco de emoção para a alegria. A vida não é boa?
Sinta-a todo o tempo e você terá energia para tudo.
Quando você acordar pela manhã, ponha-se em “ON”.
Qual emoção você está “andando”?
Alegria!
Quando você abrir os seus olhos pela primeira vez, agradeça a D-us, e decida que viver é bom e vai ser um ótimo dia.
Sem dores de cabeça, sem problemas.
Alegria é a nota do dia.
Mesmo que você não se sinta alegre, finja.
Pureza emocional é um ato de disciplina.
Você é o dono da sua mente.
Intensifique sua vontade e direcione sua mente para onde você quer ir.
Logo, sua realidade interna irá alcançar as suas ações externas


(011) “Não vá pela vida fazendo suposições de quem você é.
Tome um tempo agora para se conhecer, antes que uma crise venha e o force a fazê-lo.”