A espiritualidade frequentemente sai pela janela no instante em que entramos em uma discussão, tropeçamos em uma crise ou caímos em depressão.



A escuridão toma conta tão rapidamente que esquecemos de tudo que aprendemos.



É por este motivo que é bom estudar diariamente, ler uma passagem da torah ou algum texto inspirador, decorar uma citação ou assistir uns minutos de uma palestra para nos lembrarmos do que é realmente importante.



Dê a sua mente algo para mastigar, para que ela não mastigue a si mesma.



Yehuda Berg


Sintonias Semanais

Nitsavim ("Ficar em pé") - Yehuda Berg 

Nitsavim não se refere apenas a estar de pé diante do Eterno, mas de estar firme diante Dele.
O que isto significa?
Muitas pessoas buscam um caminho espiritual e, no começo, é natural que haja alguma empolgação em função do que há de novo para se aprender, as práticas, etc.
Contudo, vivemos dias bons e dias não tão bons.
Quando estamos em paz, felizes, com 

todas as coisas nos seus devidos lugares, é muito fácil estar convicto de suas crenças e ser fiel às práticas diárias. Mas há aqueles dias em que tudo o que temos parece desmoronar diante de nós....
Como nos comportamos nestes dias?
Perdas, decepções... a força assediadora fará de tudo para lhe mostrar que todo o seu esforço foi em vão, que nada do que você fez foi capaz de garantir o seu bem estar.
Quando a Torah fala de estar firme diante do Eterno, se refere àqueles que não cedem à pressão, pois ela sempre irá existir, indo e vindo em busca de uma vulnerabilidade.
Vivemos ciclos como a própria natureza: há períodos de primavera, onde tudo floresce, e há períodos de inverno, quando a restrição nos coloca contra a parede.
O cabalista é aquele que mantém a estabilidade interior independente da instabilidade exterior.
Estamos próximos de Rosh HaShaná (ano novo cabalista)
Rosh HaShaná é um divisor de águas.
Firmes diante do Eterno, não nos comprometemos simplesmente a dar continuidade aos nossos projetos de vida, mas a levar estes projetos a um novo nível de experiência.





Energia Semanal de Nitsavim - Yair Alon
O trecho da energia semanal Nitsavim começa falando de um pacto firmado entre o Eterno e o povo de Israel. Ao contrário do que a religião nos ensina, a Cabalá diz 
que povo de Israel é uma metáfora para todo aquele que deseja evoluir, e não apenas um povo específico, como o povo judeu. Prova disso é que o termo "judeu" não aparece em nenhum dos livros da Torá. Isso significa que qualquer pessoa pode ser um membro do povo de Israel e pode, portanto, participar do pacto mencionado nesta semana, um pacto de comprometimento com a evolução espiritual. Mas ao tratar deste pacto, o versículo diz: "Não apenas com vocês eu selo este pacto e este juramento, mas com todos os que estão aqui, parados conosco hoje, diante do Eterno, e com os que não estão aqui conosco hoje".

O que significa que o pacto está sendo selado também "com os que não estão aqui hoje"? Alguém perdeu a oportunidade participar deste novo pacto?

O grande comentarista Rashi, explica que as palavras "os que não estão aqui hoje" se referem às futuras gerações de Israel. De modo similar, o Midrash diz que do ponto de vista espiritual, todas as almas de Israel estavam presente neste pacto, mesmo que não estivessem lá fisicamente falando.

A biologia recentemente fez uma descoberta muito interessante. Se pudéssemos rastrear e identificar todas as células de um ser humano quando ele ainda é um bebê, veríamos que nenhuma destas células seria encontrada neste bebê quando ele chegasse à fase adulta.

Por acaso este bebê se transformou em outra pessoa? Obviamente que não, ele sempre foi a mesma pessoa. Mas do ponto de vista físico, a verdade é que suas células foram envelhecendo e sendo gradativamente trocadas por outras, mais novas.

Do versículo em questão, a Cabalá ensina que, do ponto de vista espiritual, toda humanidade funciona como as células de um organismo. Gerações podem morrer e serem substituídas por novas gerações, mas do ponto de vista espiritual, a humanidade continua intacta, pois somos uma única entidade contínua. Assim, do mesmo modo que a geração que andou pelo deserto fez um pacto com o Eterno, este pacto também foi feito conosco, enquanto humanidade. Assim, é como se nós também estivéssemos presentes naquele momento.

Mas desta pode surgir outra pergunta. Que diferença faz se somos pessoas isoladas ou conectadas entre si? O que me importa se a humanidade é um todo ou não? O Rambam explica que por sermos parte de uma única entidade, temos a obrigação de cuidar e de se preocupar com cada um dos que também fazem parte dela. A Cabalá vai mais longe ainda e diz que o mundo inteiro não pode ser um local melhor enquanto todos os seres humanos não evoluírem. Não adianta nada que eu evolua sozinho, atinja a iluminação e vá para o Mundo Vindouro se deixei para trás irmãos num estado de escuridão, confusão e trevas.

Para um verdadeiro cabalista, ou para todo aquele que deseja evoluir, não existe o viver de maneira isolada e individual, pois somos todos parte de um grupo. Não existe o conceito de uma pessoa evoluir sozinha, sossegadamente e isolada do resto do mundo, despreocupada com as dificuldades e a realidade do que os outros estão passando.

É por motivos como este que a Cabalá considera muito importante participar de momentos especiais na vida das pessoas que nos querem ali. Casamentos, festas de aniversário, comemorações, mas também momentos de tristeza, luto, dor. O que a pessoa está vivendo naquele momento, em última instância também afeta a mim, pois somos células de um mesmo organismo.

Para chegar a este ponto de visão unificada da humanidade, para aumentar a nossa sensibilidade com os outros, é necessário muito trabalho. O primeiro passo é querer e saber dos benefícios que esta visão pode nos dar. Feito isso, o segundo passo é tentar vencer o nosso egoísmo, a nossa natureza primeira, que nos faz ver como indivíduos separados e isolados. Precisamos entender que, pelo menos no que diz respeito ao espiritual, não estamos em uma corrida para chegar em primeiro lugar sozinhos. No mundo espiritual não há a competitividade que vemos no mundo físico. Enquanto tivermos pessoas que não passaram pela linha de chegada espiritual, também não somos considerados vencedores da corrida.

A lição mais importante da energia desta semana é tentar começar a sentir que, na verdade, somos todos um só
.